Delou Informa:

Loading...

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

O Trem, a Baronesa no Brasil.

Hoje em dia se discute muito a questão de transporte no Brasil, e o que está no auge da pauta, é a construção do Trem Bala. Um excelente meio de transporte, o mais moderno. Mas enquanto não chegam a conclusão de qual é o melhor para o Brasil, vamos voltar um pouco na história.
A ¨Baronesa¨-Imagem Google
A primeira vez que se pensou em criar um transporte ferroviário no Brasil, foi em 1835, quando o Regente Diogo António Feijó promulgou uma lei que concedia benesses a quem construi-se uma linha férrea entre o Rio de Janeiro e as capitais, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia. Mas não houve interesse nenhum para explorar esse mercado.
 Estação-Mauá - I.Google
       Em 1852, o então Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, recebeu a concessão de D. Pedro II para construir a primeira linha férrea no Brasil, que ligava a Baía de Guanabara a Raiz da Serra, em direção á Petrópolis, com 14 Km de percurso. A locomotiva chamada de  ¨ A Baronesa¨ (homenagem a esposa do Barão Mauá )  fabricada na Inglaterra por Willian Fair Barin & Sons, em 1852, fez sua primeira viagem no Brasil, em 30 de Abril de 1854. Alias, foi nessa viagem que Irineu Evangelista recebeu o titulo de Barão, (mais tarde Visconde) de D. Pedro I I, que estava presente.  Essa ferrovia foi chamada de Estrada de Ferro Petrópolis ou Estrada de Ferro Barão de Mauá.




A partir dai começou uma corrida no transporte férreo. Em 9 de Fevereiro de 1858, foi inaugurada a segunda ferrovia entre Recife e São Francisco. só que esta por sua vez, não chegou atingir sua finalidade, mas ajudou a desenvolver cidades por onde passava e formou o primeiro tronco da futura ¨GREAT WESTERN¨.  No mesmo ano foi inaugurada a Estrada de Ferro D. Pedro II, que em 1859 se tornaria a Estrada de Ferro Central do Brasil e, seu construtor e primeiro diretor foi Cristiano Bendito Ottoni, que também foi o responsável pela linha da Serra do Mar- E.F Santos a Jundiaí, em direção a São Paulo e Minas Gerais. Tendo também como construtor de alguns trechos, Francisco Pereira Passos.


Na proclamação da Republica do Brasil em 1889, já existiam cerca de 10.000 Km de ferrovia e entre 1911 e 1916 mais 5.000 Km foram construídos. Mas a forma desenfreada de expansão, trouxe vários problemas que perduram até hoje, como a utilização de diversos tipos de Bitola - distância entre as faces interiores das cabeças dos trilhos.- que impediam e impedem a uma unificação da malha ferroviária nacional, traçados sinuosos e pequenas ferrovias que isoladas logo faliam e o governo tinha que encampar.

Em 1916 foram iniciados os estudos para a eletrificação das ferrovias no pais e o primeiro trecho com tensão 3000 VCC, foi entre Jundiaí e Campinas em São Paulo, pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro, inaugurada em 23 de Junho de 1922. ( Mas já tinha sido feito também na E.F.Corcovado.) Ela era conhecida e famosa pelo seu alto padrão de atendimento e pela sua pontualidade, costumava-se dizer que as pessoas acertavam seus relógios pela chegada dos trens.
Acomodações nos Vagões de passageiros- I. Google.
A Central do Brasil foi um marco importante, pois ela era a unica ferrovia verdadeiramente nacional, que ligava, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, com grande capacidade de passageiros, inclusive contando com acomodações luxuosas, e também no serviço de carga, principalmente jazidas de minério de ferro de Minas Gerais. A sua eletrificação foi decidida em 1933, mas por problemas econômico, e também com a Segunda Guera Mundial, houve um atraso por muitos anos.
Locomotiva a Diesel mais antiga. I.G
A Rede Ferroviária Federal - RFFSA-que unificou 42 ferrovias existentes, criando um sistema regional composto por 18 estradas de ferro, foi criada em 30 de Setembro de 1957, e nesse mesmo período começou a surgir as primeiras Locomotivas a Diesel, nessa altura a rede já se estendia por 25.000 KM ( alguns já eletrificados) com ligações à Bolívia, à Argentina e ao Uruguai. A RFFSA, prestou serviço durante 40 anos, e foi desestatizada pelo Presidente Fernando Henrique Cardoso em 1996.
A privatização foi uma das alternativas encontradas para retornar os investimentos nas linhas férreas, ou seja no setor ferroviário. As concessionários não se interessaram pelo transporte público, somente no de carga, com isso ele foi praticamente extinto.

Kleiton e Kledir, em homenagem à Rede Ferroviária Federal -RFFSA, com a música ¨ Maria Fumaça ¨- 1979  (4642)



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...